O que pensas cria a tua realidade

Two_Realities_by_complejo

Cada um cria a sua própria realidade.

Consciente ou inconscientemente, cada gesto, pensamento, acto, palavra, acção, rito, etc, está continuamente a definir a nossa realidade.

Cabe a nós escolher o que desejamos na nossa vida.

|O Poder da Palavra|

Na palavra é depositada alguma importância vital para os Humanos.

Através dela comunicamos uns aos outros, tentamos demonstrar o que sentimos, o que pensamos e é o que reorganiza a nossa forma de pensar também.

Cada palavra tem um certo significado e serve para orientar pensamentos.
Mesmo a constituição sonora da palavra é na sua base uma energia vibratória. Tanto que conforme a palavra – mesmo que nunca antes a tenhamos a ouvido – podemos identificar a sua natureza.

Mesmo ao serem dias, a carga emocional depositadas nelas também a modela e poderá modificar muito o sentido original da palavra.

Isto é algo fácil de reconhecer no nosso hábito de falar e de ouvir.

Algo interessante é que mesmo antes de falarmos algo, reproduzimos primeiro nos nossos ouvidos e só depois verbelarizamos o que pensamos.

Mas nós também temos um diálogo interior. Esse fica tanto no espaço mental e também muitas vezes é repetido nos ouvidos

Então esse diálogo interno é uma força energetica que geramos em nós, e que se a deixarmos muito à solta, sem a conduzirmos, ela pode nos afastar dos nossos objetivos.

Ela afecta muito a nossa vida, na forma que a vemos e no que atraímos.

Isto acontece porque a nossa mente se divide em consciente e subconsciente, e este último é cego e precisa da orientação da mente consciente de como há-de dar resposta a certas situações.

Por isso é importante criarmos linhas de pensamento interno construtiva de forma a nos recriarmos em versões de nós próprios melhores e mais evoluídas.

É aqui que entramos dentro do domínios do “pensamento positivo”, mas mesmo assim temos que tomar consciência de como o manusear senão ele pode vir a ser um recurso muito incerto .

|A construção das palavras|

Construímos inconscientemente a fazes sem estarmos cientes do que realmente estamos formular.

Uma das primeiras coisas que temos que ter em conta é a excessiva utilização da palavra “NÃO” no meio de uma frase é inexistente para a mente. Então uma frase como:

“Eu não tenho problemas com o Fulano.”

A mente intrepeta-a como:

“Eu tenho problemas com o Fulano.”

A palavra “não” para o insconciente é vazia e sem valor.

Logo interpreta como enixistente no sentido da frase.

O resultado da negação passa a ser o que não era pretendido quando foi dita a frase.

Então o mais obvio será que “irás ter problemas com o Fulano”.

O mesmo pode-se constatar com uma frase do género:

“Eu vou chumbar no exame.”

É uma frase positiva porque na sua construção o “não” é inexistente, mas disfuncional porque põe-nos longe do nosso objectivo, a onde queriamos chegar.

O que é melhor dizer expandir o termo de “pensamento positivo” para “pensamento objectivo”.

A palavra é uma bela ferramenta que temos para criar e recriarmos.

Foi oferecida pelo o Todo.

Um exemplo simples pode ser visto desta forma:

Pensamento objectivo disfuncional:

“Não posso me esquecer de levar o livro.”

Pensamento objectivo funcional:

“Eu lembro-me de levar o livro.”

Agora outro ponto vital para a concretização da palavra é o sentimento que lhe dás.

Aqui entra a fé ou, para quem fica desconfortável com esta palavra, sentimento objectivo.

A vida nos dá aquilo que lhe pedimos.

E aquilo que pedimos é expresso na palavra.

E só poderás exprimir a realidade do ser que é no Agora.

Passando para a prática.

Se na tua vida queres, por exemplo, felicidade. O normal será dizeres:

“Eu quero ser feliz.”

Analisando agora a construção da frase, vemos que há um sentimento de necessidade na frase – “Eu quero”.

Logo a vida te dá aquilo que expressaste, a necessidade de seres feliz, demonstrada na falta de felicidade.

Se o teu objectivo é a felicidade, deves expressar algo do género:

“Eu Sou Feliz.”

Assim estás a por todo o Universo a mexer-se para te dar a oportunidade de continuares a demonstrar aquilo que tu és, Feliz.

Uma frase destas também tem que ser dita o mais natural que possível, com o sentimento de que assim é. Sendo Dita de forma consciente e presente.

Evita tentares enganar a mente, pois ela sabe que estás a tentar enganá-la.

Falo pelo Coração.

Sabes que é impossível enganar Deus.

Sabes que és uma parte de Deus, logo é impossível enganares a ti mesmo.

Mas podes te recriar se for isso que se ambicionas ser algo mais na vida.

Recria-te na próxima forma mais elevada do Teu Ser.

|”Eu Sou”|

Vasta é a literatura que aborda o tema da Presença Divina e a expressão do “Eu Sou”.
Quando estamos a fazer uso dessa frase com com uma declaração em seguida estamos de certa forma a nos definir mais como ambicionamos.
Do Tipo:“Eu Sou Feliz”Uma pessoa geralmente começasse por se identificar com a Felicidade, ou com o que declarou.Mas analisemos um pouco mais fundo a expressão!
O “EU” é Deus em Acção. Faz referencia directa a nós no momento presente. Podemos não ter a imagem completa do nosso Ser alinhada no Corpo, Mente e Alma; mas sambemos que somos nós. E o Universo lê a informação da frase onde estiver a palavra “EU” como uma afirmação da individualidade.
O “SOU”  representa uma qualidade, uma característica. Vai apontar para uma das muitas facetas do Supremo Criador que podem ser manifestadas por nós. Ao usar “SOU” estamos a dizer ao Universo que característica encarnamos no momento.
Por isso ao usar a expressão “EU SOU” estamos a afirmar ao Universo uma característica nossa individual que estamos a incorporar. E ele irá fazê-la se manifestar na nossa realidade, com base nos Princípios da Recriação.

|Como criar um Encantamento|

Quando começamos a trilhar o nosso caminho no magia encontras muitas formulas mágicas. Ladainhas, encantamentos, oraçõe, canticos, poemas mágicos, etc. Eles por sí só já têm alguma força, e pela repetição de várias pessoas pelo mundo todo, acabam por ter a força de uma égregora.

Mas geralmente é despida de sentimentos e estamos longe de compreender o verdadeiro significado das palavras.

Ao seguirmos a nossa inspiração estamos a colocar a nossa energia nas nossas orações. Estamos a cunhar a nossa magia com a nossa energia, a nossa essência. E sabes realmente o que estás a fazer, e o que estás a conduzir.

Mas no inicio do nosso caminho mágico não sabemos ainda bem por onde começar. Então vale a pena ler e nos inspirar-mos em outros encantamentos e dizeres mágicos, estudá-los e interpreta-los. Depois basta só adaptar ao nosso conhecimento espiritual.

Através do uso das palavras podemos dirigir a nossa intenção e energias/vibrações para o nosso objectivo.

Agora a capacidade de o fazer varia de pessoa para pessoa, e o tempo para amestrar também.

Fazer um ritual não se baseia só em acender uma vela e dizer qualquer coisa. Temos que estar conscientes do que estamos a dizer e a fazer. Pois assim é que estamos a colocar verdadeiramente todo o nosso ser em acção.

Resumindo a elaboração de um encantamento:

  • Definir o objectivo principal do encantamento
  • Descobrir quais são os elementos que estão envolvidos
  • Escolher quais são as ferramentas que queres fazer uso
  • Ver se existe algum tempo cronológico em que o encantamento pode beneficiar em ser executado.
  • Fazer um rascunho do encantamento
  • Revê-o e acaba por o escrever como final
  • Reúne todos os elementos que decidiste usar
  • Executa o encantamento

Primeiro tens que definir objectivamente o que pretendes.

O mais simples e directo que possível.

É de ter em conta que somos responsáveis pelo que recebemos no universo. Tentamos fazer sempre o nosso melhor mais por vezes as nossas prospectivas podem estar erradas para o que a Alma nos quer conduzir. Então por vezes não recebemos o que pedimos mesmo por causa disso.

Estuda os Quatro Elementos Básicos mais o  Quinto e Nobre Elemento junto com as restantes Forças e Seres Mágicos.
A forma como entoas os encantamentos pode ser feito da forma como mais te identificas.

Podes dizer o encantamento mentalmente, podes sussurrar, dizer na voz normal, canta-lo, etc. O que interessa mesmo é sentir o poder da palavra. O importante é sentir.

Há quem crie rimas nos seus encantamentos por uma razão lógica: a rima ajuda a memorizar. Mas também tem uma força mágica maior. Como demora mais a elaborar, esta fica mais envolta da nossa atenção e -por consequência- mais “poderosa”.

O tamanho do nosso encantamento varia de gosto para gosto, mas o suficiente será para indicar o nosso objectivo.

Afinal de contas foi por isso que começamos a delineá-lo.

|O Poder da Palavra na formação das invocações.|

Para salientar que é proveitoso expressares- quando fazes uma invocação- que tudo é uma parte de Deus.

Pois assim criamos uma união entre as entidades e nós.

União é uma das faces do Amor.

Logo és uno com as forças invocadas.

Logo estás a expressar Amor na intenção.

Anúncios

Um pensamento sobre “O que pensas cria a tua realidade

Deixar um ponto de vista

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s